02/08/2009

A luz

Devagarosa a luz,
a luz, tão negra, vacila, cai
de bruços derreada:


arrefece o olhar,
rasura, cega; e pára, brusca-
mente: ao rés do nada.




Domingos da Mota

2 comentários:

  1. Amigo Domingos,


    Lindo!


    Abraços,
    Adriano Nunes.

    ResponderEliminar
  2. Luz para todos...
    Para tudo.

    Às vezes, pensa-se, por que luz ali, no nada?

    ResponderEliminar